terça-feira, 6 de outubro de 2009

O Pequeno Príncipe, o grande livro em Pop-up




Existem livros e livros ilustrados. Livros ilustrados pelo próprio autor e por outros. Tem livros que não necessitam ilustrações. Tem livros que pedem ilustrações. Tem gente que gosta de ilustrar livros dos outros, brincar com o texto. A maioria dos livros infantis tem ilustrações, ajuda na compreensão do texto, dizem. O texto para “adultos” normalmente não tem ilustrações, os romances, os contos, as novelas. O último livro para “adultos” com ilustração, que ganhei no final do ano passado, foi uma edição comemorativa de Vidas Secas. O texto de Graciliano Ramos é acompanhado por fotos feitas por Evandro Teixeira na região retratada na obra. Sem comentários! Habita também na minha biblioteca certo Macunaíma edição ricamente luxuosa da Editora Itatiaia, com capa e reproduções de óleos da artista amazonense Rita Loureiro. Além de várias ilustrações feitas por Gustavo Doré, em Dom Quixote, Fábulas de La Fontaine, e Les Contes de Perrault. Ilustrações que embelezam cada livro tornando-os únicos.
Bom mas pra que tanta coisa? Só para falar da minha última aquisição: O Pequeno Príncipe, o grande livro em Pop-up. A ilustração é a mesma do autor, mas ganhou vida. Quando você vira a página, o desenho parece saltar do papel. O texto é o mesmo clássico. Mas a riqueza dos detalhes nos faz emocionar novamente. È tudo muito lindo, muito bem feito. Nós podemos interagir com as ilustrações a partir de um pequeno toque. Eu que já era apaixonado pelo livro em todas as suas versões, agora me rendo totalmente: este é o melhor livro do mundo!

2 comentários:

Samuel Quintans disse...

Olá José Marcos!

hoje é aniversário do meu blog! Dê uma conferidinha aqui! Faça uma visitinha!
Será muito bom tê-lo comemorando conosco!

http://sempreacontecendo.blogspot.com/2009/10/primeiro-ano-do-blog-tudo-que-acontece.html

Abraços

Samuka

Roberto disse...

Eita Zézinho Marcos!

O Pequeno Príncípe vai ser sempre assim
Pra crianças quem já leram,
Pra crianças que vão ler,
Pra crianças adultas, crianças velhas
Que apesar de tudo não perderam ainda a capacidade de "sentir, sonhar e aprender
com os olhos do coração".

Um abração viu!
Do seu amigo distante
Roberto