quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Pequeno Príncipe ganha boneco no Museu de Cera de Paris




Após ser traduzido para 257 idiomas, o Pequeno Príncipe, o intrépido viajante interplanetário criado pelo escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, chegou esta quarta-feira ao Museu de Cera de Paris, acompanhado das inseparáveis raposa e rosa.
O jovem aventureiro foi instalado no museu Grevin, em cerimônia  que contou com a presença de Olivier, sobrinho do escritor, que criou o personagem em 1942, dois anos antes de sua morte prematura, aos 44 anos.
O jovenzinho loiro e solitário em seu microplaneta, que conquistou o coração de crianças e adultos de todo o planeta, entrou no panteão de cera na qualidade de "embaixador imortal dos sonhos", informou a diretora do museu, Béatrice de Reyniès.
O escultor Stéphane Barret fez a estátua de cera do Pequeno Príncipe e do seu planeta, B612, de 3 metros de diâmetro.
O livro foi publicado pela primeira vez em 1943 em  em inglês em Nova York, um ano antes de o avião de Saint Exupéry cair no mar durante missão de reconhecimento na Segunda Guerra Mundial.
O escritor, que já tinha publicado Correio do Sul (1928),Voo Noturno (1931) e Terra dos homens (1939), tinha se refugiado na cidade americana com a esposa, a salvadorenha Consuelo Suncín, antes de voltar à França para combater os invasores nazistas.
O Pequeno Príncipe é até hoje o livro francês mais vendido no mundo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O Pequeno Príncipe atinge 250 línguas e dialetos.

Texto adaptado do Site oficial do Pequeno Príncipe.
Após a publicação em Inglês de O Pequeno Príncipe que foi publicado nos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, e depois o texto francês, o número de versões em línguas estrangeiras continuaram a crescer a partir de finais dos anos 1940 em diante. O Pequeno Príncipe está agora disponível em 210 línguas e dialetos , e há muitas línguas, que pode se gabar várias traduções.
Ao lado de L'Etranger ( The Outsider ) por Camus, é o trabalho mais freqüentemente traduzido da literatura francesa no mundo e todos os anos, do Japão à América do Sul, novas edições são oferecidos em grandes tiragens (47 edições em 2007 no Sul Coréia). Línguas minoritárias, ameaçadas de extinção, encontrá-lo útil para oferecer alto-falantes últimos remanescentes sua própria versão deO Pequeno Príncipe , e nos últimos anos história lendária Saint-Exupéry foi publicado em Saami (Lapp), Romany e Quechua.
   
O Pequeno Príncipe é um livro ideal para aprender outras línguas, e é estudada nas escolas em muitos países estrangeiros, incluindo Marrocos e Japão. Para ajudar a combater o analfabetismo, uma versão em Tifinar foi recentemente produzido para o povo Touareg e uma versão em Khmer foi publicado recentemente no Camboja.
   
Em 2005, O Pequeno Príncipe foi traduzido para o Toba, uma língua indígena do norte da Argentina: até então, o único livro traduzido para outras já Toba foi a Bíblia.

Se alguém tiver alguma dessas edições e quiser mandar para mim eu ficarei feliz. Principalmente os em dialetos que são mais difíceis de conseguir.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Primeira exposição da minha coleção do Pequeno Príncipe.

Aconteceu no dia 26/11/2011 na “Escola Municipal Helio Pellegrino” no bairro Guarani, durante a V Festa Literária. A primeira exposição da “Minha Coleção do Pequeno Príncipe”. O convite partiu da Professora Carla Lúcia Ramos Machado.

O trabalho foi feito com as turmas de alunos de idade entre 09 e 10 anos 4º ano do 1º ciclo, que inicialmente fizeram a leitura do livro em português, e depois fizeram atividades sobre o mesmo
Atividades de desenhos também foram elaboradas como: “Por favor, desenhe-me um carneiro”, onde as crianças desenharam carneiros em várias perspectivas. 

Em outro momento eu estive falando para os alunos, sobre colecionismo e principalmente sobre a minha coleção predileta, e respondendo perguntas elaboradas pelos alunos tipo: Como começou a sua coleção? Qual o seu interesse? Qual livro que você gosta mais? Qual seu autor predileto? 
A Exposição teve além dos livros, cartazes explicativos sobre as línguas em que foram escritos os livros, fotos dos alunos, desenhos dos alunos, cartazes com as frases marcantes do livro e outras mídias como filmes, áudio-livro, Cd ROM e como curiosidade uma radiola portátil onde se podia ouvir um LP de 1969 contando a história
E bonecos feito em E.V.A. de autoria da Cláudia Machado que aceita encomendas... 
Todos os visitantes da exposição recebam na saída, uma rosa feita em papel crepom, contendo uma frase do livro como lembrança. 
Visitada por alunos, pais e professores de outras turmas e comunidade, a exposição encantou a todos que puderam manusear os livros e fazerem perguntas.

Nesta oportunidade agradeço as professoras Carla Machado, Elaine e Marilene além da direção da escola Hélio Pellegrino que estimulam a literatura e tentam fazer juntas uma escola melhor.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

V FESTA LITERÀRIA

                                                                   

     




A minha Coleção do Pequeno Príncipe  estará participando desta festa, Aguardem Notícias.                                                      

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Il Piccolo Principe

Título: Il Piccolo Principe

                              Língua: Italiano
                              País: Peru
                              Editora: Los Libros Más Pequeños del Mundo
                              Ano:2008
                               ISBN 978-612-4013-01-0

El Principito

Título: El Principito
Língua: Espanhol
País: Peru
Editora: Los Libros Más Pequeños del Mundo
Ano:2008
ISBN 9972-206-47-5

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Matéria na Revista Viagem e Turismo

~
A minha Coleção do Pequeno Príncipe está ficando famosa (rsrsrs)
Na edição de Agosto da revista Viagem e Turismo nós (eu e os livros) aparecemos na seção VIAJANTES

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Língua Russa


Título: Malenjki Prynts
Língua: Russa
Tradutor:
Editora: Eksmo
País: Rússia
Data da publicação: 2011
Doação: Osmar Mendes Junior
ISBN:9785699286836





Língua Russa
O russo é uma língua eslava, pertencente à família linguística indo-europeia. Do ponto de vista do idioma falado, seus parentes mais próximos são o ucraniano e o bielorrusso, outras duas línguas nacionais pertencentes ao grupo eslavas orientais. Em diversos locais no leste e sul da Ucrânia e por toda a Bielorrússia estes idiomas são falados de maneira intercambiável, e em determinadas regiões o bilinguismo tradicional resultou numa mistura de idiomas, resultando por exemplo no surjyk falado no leste da Ucrânia e o trasianka da Bielorrússia. Acredita-se que um dialeto da Antiga Novgorod, também pertencente ao grupo eslavo oriental, e desaparecido durante o século XV ou XVI, teria desempenhado um papel importante na formação da língua russa atual. Os idiomas mais próximos atualmente deste dialeto seriam aslínguas eslavas ocidentais, especialmente o polonês e o eslovaco, seguidos pelas línguas eslavas meridionais - embora o búlgaro, em especial, tenha uma gramática relativamente diferente.

O vocabulário (especialmente palavras abstratas e literárias), princípios de formação de palavras e, até certo ponto, inflexões e o estilo literário do russo também foram influenciados pelo eslavônico eclesiástico, uma forma desenvolvida (e adotada apenas parcialmente) de um ramo do eslavo meridional, o antigo eslavônico eclesiástico, utilizado pela Igreja Ortodoxa Russa. As formas eslavas orientais, no entanto, tendem a ser usadas exclusivamente nos diversos dialetos que passam por um processo rápido de declínio. Em alguns casos, tanto a forma eslava oriental quanto a eslavônica eclesiástica estão em uso, embora com significados diferentes (ver maiores detalhes em Fonologia do russo e História da língua russa).

A fonologia e a sintaxe do russo (especialmente em seus dialetos mais setentrionais) também foram influenciadas - até certo ponto - pelas diversos línguas fínicas, pertencentes à subfamília fino-úgrica, como omerya, o moksha, o muromiano, o idioma falado pelos meshcheras, o veps, entre outros. Estes idiomas - muitos dos quais já foram extintos - costumavam ser falados no centro e no norte da atual Rússia europeia, e entraram em contato com os idiomas eslavos orientais no início da Idade Média, servindo eventualmente como substrato para a língua russa atual. Os dialetos russos falados a norte, nordeste e noroeste de Moscou apresentam um número considerável de palavras de origem fino-úgrica. Ao longo dos séculos, o vocabulário e o estilo literário do russo também foram influenciados pelos idiomas europeus ocidentais e centrais, como o polonês, o latim, o holandês, o alemão, o francês e o inglês.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Sorteio

Relação dos participantes

1-Fernanda Lívia Silva Fonseca
2-Adriana Ramires Machado
3-Rosa maria mendes da Silva
4-Rosilda de Sá
5-Sandra Carvalho
6-Renato Duarte
7-Poliana Vitti
8-Cassia Minko
9-Roseli de Oliveira Santana
10- Fabio de pancas
11-Jéssica Mota da Silva
12-Rosa Maria Souza Ribeiro
13-Elaine Dias.
14-Antonio Ivan Correia Santos
15-MariLinda
16-Maria Isabel Aguiar da silva
17-Adriana Lopes Gonçalves
18-Juliana Santos Teixeira
19-Eric Oliveira
20 Angelica
21-Moca
22-Beatriz Menani
23-Noemi Barros
24-Ana Paula Dalfovo
25-Luciana Helena Cisi
26-Lindomar Oliveira
27-Ana Paula silveira


E a vencedora é: 9-Roseli de Oliveira Santana
Você tem no máximo, três dias para responder o e-mail e informar os dados para envio.

Obrigado pela participação de todos.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Língua Turca

Título: Küçük Prens

Língua: Turco

Tradutor: Sumru Agryürüyen

Editora: Ad.Donker

País: Turquia

Data da publicação: 2011

Doação: Eliana Sá (Sá editora)

ISBN: 978-975-310-095-3

Língua Turca

• O turco integra o ramo das línguas turcomanas (ou túrquicas) que faz parte do grupo Oguz, o qual também inclui as línguas Azeri e Gagauz, da família das línguas altáicas.

• Línguas turcas têm uma história literária, que remonta a mais de 2.000 anos. Essas línguas são faladas por cerca de 180 milhões de pessoas como língua materna e o número total de falantes de línguas turcas tem mais de 200 milhões de falantes, incluindo como uma segunda língua.

• A língua turca falada hoje na República da Turquia, que foi modernizada durante o movimento de independência turca revolucionários da primeira metade do século XX. Como o finlandês e o húngaro, turco é uma língua aglutinante, o que significa que novas partículas são adicionadas ao final de um formulário base para gerar novas palavras. Isto significa que se pode facilmente observar pequenas alterações em seu significado e rapidamente aprender novas palavras.

• O turco é língua oficial da Turquia e é falado por minorias em outros 35 países, em geral aqueles que pertenceram ao Império Otomano, como a Bulgária, a Grécia (na Trácia ocidental), a Roménia, a Macedónia, Sérvia, e Chipre. Há mais de dois milhões de turcos na Alemanha, há também significativas comunidades turcas na França, Holanda, Áustria, Bélgica, Suíça, Reino unido.

• A ideia de aprender turco é nova para muitos Portugueses. Com a crescente importância global da Turquia nas últimas décadas e, como resultado da rápida crescente número de Portugueses que visitam ou imigram para Turquia, mais e mais Portugueses estão interessados em aprender turco.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Edição com guia de leitura

Título: El Principito
Edición com guía de lectura, emecé, 2011 Argentina.

Argentina

Título: El Principito


Língua: Espamhol

Tradutor: Bonifacio del Carril

Editora: Emecé

País: Argentina

Data da publicação: 165ª edição Fevereiro de 2011

Doação: Inês Helena e Marcelo

ISBN: 978-950-04-0048-0

Ronnie Von

O Pequeno Príncipe

De um astro um dia ele desceu

E o deserto iluminou

Com a luz do olhar

Com a luz do olhar

E o mundo não compreendeu

Que uma só flor pode conter

Todo amor de um viver

Todo amor de um viver

Ele sabia que o vento

Quando soprava a cantar

Era saudade e lamento

Pra quem sabe amar

E o deserto então guardou

Uma lembrança tão gentil

Pequeno Principe partiu

E não mais retornou

E não mais retornou.

El Libro de Las Virtudes de Antoine de Saint-Exupéry

Libro El Principito: El Libro de Las Virtudes de Antoine de Saint-Exupéry

Título: El Principito: El Libro de Las Virtudes
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
Editorial: Ediciones B
Año: 2010
N° páginas: 64
Tipo de encuadernación: Tapa blanda
Idioma: Español
Categoría: Libros Infantiles
Doiação: Inês Helena e Marcelo

El pequeño príncipe

El pequeño príncipe / Antoine de Saint-Exupéry ; adaptado por Shim Sang Wu ; ilustrado por Kim Hyun Ju. -- Montevideo : Ide Tor, 2007. -- [36 ca.] p. ; il. col. ; 27 x 27 cm. -- ISBN 978-9974-8011-0-3.
Doação: Inês Helena e Marcelo.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Língua Italiana

Título: Il Piccolo Principe
Língua: Italiana
Tradutor: Nini Bompiani Breggoli
Editora: Tascabili Bompiani
País: Itália
Data da publicação: 1993

Doação: Laura Nicoletta Padovani

ISBN: 88-452-0511-8

Polônia

Título: Maty Ksiaze
Língua: Polaka
Tradutor: ZAKWARELKAMI AUTORA
Editora: Torun
País: Polônia
Data da publicação: 2010

Doação: Agnieszka Ochal

ISBN: 978-83-89683-43-4

A língua neerlandesa

Título: De Kleine Prins

Língua: Holandes

Tradutor: Laetitia de Beaufort-van Hamel

Editora: Ad.Donker

País: Holanda

Data da publicação: 2010

Doação: Maninha

ISBN: 978-9061005438

A língua neerlandesa (de Nederlandse taal) ou neerlandês, conhecida coloquialmente como língua holandesa ou holandês, é uma língua indo-europeia do ramo ocidental da família germânica. É falada por cerca de 25 milhões de pessoas nos Países Baixos (em linguagem corrente designada como Holanda), no norte da Bélgica, no extremo litoral nordeste da França, no Suriname, nas Antilhas Neerlandesas, em Aruba e por certos grupos na Indonésia.

A língua neerlandesa é popularmente denominada "língua holandesa", mas tecnicamente o holandês é um dialeto do neerlandês, falado na região chamada Holanda que hoje é constituída por duas províncias dos Países Baixos.

A língua foi e é conhecida sob vários nomes; por exemplo, na Idade Média era chamada diets(ch) ou duits(ch), de onde deriva seu nome em inglês (dutch); no Renascimento era conhecida como nederduits(ch), literalmente baixo alemão, o que reflectia a sua estreita ligação com os falares do norte da Alemanha, e marcava a diferença com o "alto alemão", falado na parte sul da Alemanha e que is tornar-se a língua oficial deste país. Quando a separação política dos Países Baixos da Alemanha estava consumada, a designação da língua passou para "nederlands" - um exemplo de como a designação da língua segue a constituição de um país. Convém salientar que o nederlands como língua estandardizada e oficial coexiste com uma série de de dialectos, como o hollands (holandês) falado nas províncias do mesmo nome, o vlaams (flamengo) falado em pouco mais da metade da Bélgica, ou o "limburgs" falado na Província de Limburg, no extremo sudeste do País. Convém salientar que o frisónico, falado nalgumas ilhas junto da costa norte dos Países Baixos e da Alemanha adjacente não é um dialecto do neerlandês, mas uma língua própria, aparentada ao antigo inglês.

domingo, 29 de maio de 2011

Nova Promoção

Existem coisas pequenas que fazem a felicidade, como por exemplo: Um sorvete tomado na Praça de Espanha em Roma, (Itália). Comer um cachorro quente em uma noite chuvosa em Medelín, (Colômbia). Tomar um vinho com amigos em Rosário (Argentina). Mergulhar o pé no oceano Pacífico em Vinha Del Mar (Chile). Ver a queima de fogos em Copacabana no Rio de Janeiro...


Mas tem outras coisas, como por exemplo: Saber que um amigo (Osmar Mendes Junior) vai visitar a União Soviética, (Eliana Sá) da Editora Sá está na Turquia, A minha vizinha (Maninha) está na Holanda...

E o mais importante: Todos eles vão trazer para mim um exemplar do “Pequeno Príncipe”. A minha coleção vai receber três novos exemplares, em Turco, em Russo e em Holandês.

Para mim isso sim é felicidade. Estas notícias encheram de alegria o meu coração. ESTOU FELIZ!

Para compartilhar com vocês esta minha alegria resolvi fazer um sorteio entre os seguidores do blog. Vou sortear um DVD do filme “O Pequeno Príncipe” Título original: The Little Prince. Ano: 1974 Direção de Stanley Donen



Regras para participação

- O interessado deverá ser seguidor do blog e fazer um comentário, incluindo um email válido, neste post respondendo: “O que é “invisível aos olhos” para você”;

- Os comentários serão aceitos até as 24h do dia 30/06;

- Cada seguidor poderá enviar apenas um comentário;

- O sorteio ocorrerá no dia 01/07;

- A cada comentário será atribuído, automaticamente, um número;

- O sorteio será feito no site www.random.org que, aleatoriamente, sorteará o número vencedor;

- O vencedor será contactado em, no máximo, três dias após a divulgação do resultado para informar os dados para envio;

- Caso o vencedor não se manifeste em até cinco dias, um novo sorteio será realizado;

- Problemas com a inscrição causados pela conexão, servidor e/ou instrumento utilizado pelo participante serão de total responsabilidade do mesmo.

Siga-me (http://twitter.com/jramos871)

Só serâo válidos os comentários neste post.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

ALEMÃO

Frühjahr 1998


6. Auflage -286.000-346.000 Tausend

Alle Rechte vorbehalten

© 1950 und 1998 Karl Rauch Verlag Düsseldorf

Dieses Buch darf in die Schweiz und nach Österreich

nicht exportiert werden.

Herstellung: Neue Stalling, Oldenburg

Printed in Germany

ISBN 3-7920-0026-1

terça-feira, 17 de maio de 2011

Boneco de Papel

Vamos brincar com o “Pequeno Príncipe”? Arrume uma tesoura, cola e vamos montar um Pequeno Príncipe para brincar.


O site oficial do Pequeno Príncipe, na França, disponibilizou uns modelos para recortar e montar veja lá.

http://www.lepetitprince.com/paper-toy/

http://www.lepetitprince.com/papertoy1.zip
http://www.lepetitprince.com/papertoy2.zip
http://www.lepetitprince.com/papertoy3.zip
Estes bonecos de papel foram criados por Feransis Mati  e foi enviado da Indonésia.
Aqui está o seu site, faça uma visita:

http://www.digitalpisang.blogspot.com/

sábado, 2 de abril de 2011

O Principezinho em mirandês

O clássico de Antoine de Saint-Exupéry tem uma nova versão. "O Principezinho", o livro mais traduzido em todo o mundo depois da Bíblia, foi traduzido no dialecto mirandês. O clássico, criado em 1943, com tradução em cerca de 200 línguas, já vendeu mais de 50 milhões de exemplares.

"Dar a conhecer a língua mirandesa" é o objectivo da edição, como explica Maria José Pereira, responsável pela edição do livro e editora da divisão de banda desenhada da ASA. A editora refere ainda que esta não é a primeira obra traduzida para mirandês. Os livros do Asterix já "falam" mirandês.

O QUE É A LINGUA MIRANDESA OU O MIRANDÊS?

A língua mirandesa, ou mirandês, é uma língua pertencente ao grupo astur-leonês, com estatuto de segunda língua oficial em Portugal, reconhecida oficialmente e assim protegida. É falada por menos de quinze mil pessoas no concelho de Miranda do Douro e em três aldeias do concelho de Vimioso, num espaço de 484 km², estendendo-se a sua influência por outras aldeias dos concelhos de Vimioso, Mogadouro, Macedo de Cavaleiros e Bragança.

O mirandês tem três sub-dialetos (central ou normal, setentrional ou raiano, meridional ou sendinês); os seus falantes são em maior parte bilingues ou trilingues, pois falam o mirandês e o português, e por vezes o castelhano.

Os textos recolhidos em mirandês mostram a envolvência de traços fonéticos, sintácticos ou vocabulares das diferentes línguas; o português é mais cantado pelos mirandenses, porque é considerado língua culta, fidalga, importante.

Tendo a língua mirandesa uma forte tradição oral, passando de pais para filhos ao longo dos tempos, só em 1882, por José Leite de Vasconcelos, filólogo, arqueólogo e etnógrafo português, começou a ser investigada e fixada em escrita.


Se alguem for visitar Portugal apartir da semana que vem, ou tem algum amigo Português. providêncie um exemplar para mim. Estará à venda nas bancas de revistas e livrarias....

quarta-feira, 30 de março de 2011

Uma Homenagem do Pequeno Principe ao Japão


É desnecessário lembrar a todos o momento doloroso que atravessa o Japão. O Pequeno Príncipe, em japonês Oshino Ojisame (Príncipe das estrelas), tem fortes laços com o país onde existem trinta traduções diferentes do texto de Saint-Exupéry. É o país onde muitos pesquisadores incluindo Hiroshi Mino, professor universitário, dedicou tantos livros para o pequeno príncipe e seu autor. No país está localizado em Hakoné, um museu dedicado à Saint-Exupery e seu pequeno príncipe. Por isso, nós os amigos do pequeno príncipe daqui e de outros locais, estamos todos os afetados pela miséria de um país que é, por conseguinte, também, um pouco, nosso.

terça-feira, 29 de março de 2011

VIA SACRA DO PEQUENO PRÍNCIPE


Foi a ti que Javé, teu Deus escolheu só para Ele, como seu povo, entre todas as mações da terra. (Deuteronômio. VII 6 )

Foi o tempo que perdeste com a tua rosa que fez tua rosa tão importante.
(St. Exupéry )

DIANTE DE PILATOS (1)

agente nunca sabe.

JESUS RECEBE A CRUZ (2)

O que vejo não é mais que uma casca. o mais importante é invisível.

PRIMEIRA QUEDA (3)

É bem mais longe... bem mais difícil.

ENCONTRO COM MARIA (4)

E o principezinho se foi pensando na flor.

CIRINEU É FORÇADO A AJUDAR (5)

Quando o mistério é muito impressionante, a gente não ousa desobedecer.

A VERÔNICA (6)

É bom ter tido um amigo mesmo se a gente vai morrer.

SEGUNDA QUEDA (7)

Hesitou ainda um pouco; depois, ergueu-se.

CONSOLA AS MULHERES (8)

É tão misterioso o país das lágrimas.

TERCEIRA QUEDA (9)

Perdeu um pouco de coragem, mas fez ainda um esforço.

DESPOJADO DAS VESTES (10)

... eu parecerei morrer. É assim. Não venhas ver. Não vale a pena.

ELE É CRAVADO NA CRUZ (11)

Para que servem os espinhos?

E MORRE POR NÓS (12)

tu te tornas eternamente responsável por tudo aquilo que cativas.

A DESCIDA DA CRUZ (13)

Tombou devagarinho como uma árvore.

O SEPULTAMENTO

E eu a deixei sozinha.

E quando te houveres consolado (a gente sempre se consola) Tu te sentirás contente por teres me conhecido.

...Vos conhecereis o amor de Cristo que supera todo o conhecimento e entrareis, pela vossa plenitude,

EM TODA PLENITUDE DE DEUS. (EF.III,1)

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

星の王子さま



Título: 星の王子さま
Língua: Japones
Tradutor: Kosima Toshiaki
Editora:  Nova Empresa
País: Japão
Data da publicação: 2006
Doação: Meu amigo Benedicto Silva
ISBN: 4-12-204665-3


domingo, 23 de janeiro de 2011

El Principito

Título: El principito

Língua: Espanhol
Tradutor:
Editora: Editorial Gente Nueva
País: Cuba
Data da publicação: 2006
Doação: Anjel e família
ISBN: 978-959-08-0792-5

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Edição Cubana de 1969

Título: El Pequeño Príncipe
Língua: Espanhol
Tradutor: Andrés Ceuselo Venet
Editora: Ediciones Huracán
País: Cuba
Data da publicação: 1969 (año del esfuerzo decisivo"
Doação: Inês Helena e Marcelo
ISBN:

Para ser leido por las “personas mayores”
AI hablar del humanismo francés hay, necesariamente, que mencionar a Antoine de Saint-Exupéry: aviador, piloto civil y de guerra, ensayista, poeta, hombre de acción y filósofo. Con Vigny y Stendhal, es uno de los
pocos hombres de acción y filósofo a la vez. Saint-Exupéry ha vivido todas las cosas sobre las que escribe.
Sus libros son dificiles de definir: escritos bajo cielos diferentes y traducidos a diversas lenguas, a veces se les llama "novelas" pero son, en realidad, poéticas impesiones de lo que el valor significa para un hombre meditador y de naturaleza sensitiva. St.-Ex. (apelativo afectuoso de sus amigos) es un oficial de la aviación francesa, es un piloto del rutas comerciales que ha atrapvesado todos los cielos y mares, pero más que todo eso, y esencialmente, es poeta y filósofo. “Vuela entre lós limites de la tierra y el cielo”
St.-Ex. es un hombre de acción, hecho en la disciplina y la la vez en la camaradería. El mundo, para él, es abstracto. Love desde la altura. »La tierra ,está desolada y vacia, dice el pequeño príncipe. Tiene Fe em la virtud humana, en los valores de la amistad, Del amor, de la responsabilidad, de la comprensión, y de la belleza. Su 'filosofía es severa, pero optimista. La vida de acción es peligrosa, la muerte siempre ronda de cerca, pero el sacrificio forma hombres que serán dueños del mundo porque son dueños de si mismos.
Antoine Marie Roger de Saint-Exupéry, nació en Lyon, Francia, el 29 de junio de›1900. A los once años realiza su primer vuelo. Desde 1926 es aviador comercial Del correo de Toulouse-Dakar; Francia-Sáhara; Marruecos-Senegal. Las pocas horas de descanso de que disfruta las emplea en escribir sus libros. En 1929 aparece Correo sur. Más tarde pasa a América en una ruta de vuelos de Brasil a la Patagonia, Publica Vuelo nocturno en 1931 y en este mismo añokdcasa con la salvadoreña Consuelo Suncin. En 1935 sufre un accidente -uno de! los tantos que sufrio a través de los años- y cae, en el desierto de Sáhara, donde es milagrosamente recogido por unos beduinos. Años más tarde recordará St.-Ex. este episodio en su Pequeño príncipe., Durante la ,segunda guerra mundial\ va al frente y escribe ,Piloto de guerra. Su avión es derribado por los nazis pero logra llegar a Estados Unidos. Allí, mientras Europa se desangraba bajo las bombas, escribe Carta a un rehén ,y El pequeño príncipe. A fines de 1943 regresa al frente, Se reincorpora a la lucha como piloto de reconocimiento. No regresará de su décimosexta misión; Salió de Córcega el 31 de julio de 1944 a fotografiar objetivos enemigos. Jamás pudo encontrarse ni su cadáver ni los restos de su avión.
Mientras se reponia, en losEstados Unidos (1943), y pensando en un amigo judio que seencontraba em un campo de concentración, escribe para él-Carta a um rehén y. . . “un libro de cuento para uiños”. Un cuento infantil, de alada fantasía, para un judío cautivo. Um pequeño libro con ilustraciones hechas por él mismo. Un libro lleno de bellas imágenes, y de la anécdota fantástica de un niño que desciende :Ã la Tierra, procedente de su asteroide B 612, después de haber visitado seis planetas más. Un niño que cultiva una rosa en sulejano asteroide, que tiene tres volcanes que utiliza para calentar su comida. Un niño que habla con los animales. Todo esto -¡dedicado a un pobre judio que_«pade ce hambre y frio», que «tiene necesidad de ser consolado›>!- parece a simple vista muy raro. Este pequeño librito de infantil apariencia es un arma de dos filos. Es para niños, pero es para su amigo, «una persona mayor». Es que el libro tiene la rara virtud de encantar alos niños, «pero también el misterioso poder de llegar a lo más profundo' del ser adulto.
El pequeño príncipe es esencial para comprender la filosofia del autor. Su héroe es un niño sensible, intuitivo, capaz de ser amigo de un piloto de guerra› A través de sus páginas _St.-Ex. nos da profundas lecciones para la vida. Sus innumerables alegorías nos presentan el cuadro de una vida total y plena. El amor a la flor ›-la mujer- y el sentidode la responsabilidad y el deber: «soy responsable de mi flor». Con sutil ironia St-Ex. vapulea a las «personas mayores» que son incapaces de comprender las cosas de los niños, porque olvidan que también ellos fueron niños una vez. Critica con finafmaestria a aquellos que sólo son sensibles ante las cosas materiales. «Las personas mayores aman las cifras. . _ '-si ustedes dicen a las personas mayores: “He visto una bella casa de ladrillos rojos, con geranios em las ventanas y palomas en el techo...”, no llegarán a imaginarse la casa.. Habrá que decirles: “He visto uma casa de cien mil francos." Entonces exclamaránz “¡Qué belleza!”» '
El principe va recorriendo distintos planetas: encuentra sabios, borrachos, vanidosos, comerciantes, cientificos y simples' faroleros. Toda una galeria 'de tipos humanos ruines y despreciables. Sólo el farolero Del pañuelo rojo podría ser su amigo, Es el único que no Le parece ridiculo porque «se ocupa de cosas ajenas, a si mismo».
Ya en la Tierra, descubre que ésta está desolada y vacia, que los hombres no saben lo que quieren ni adónde van. La pequeña zorra le da una gran lección: "Lo esencial es invisible para los ojos. Hay .que buscar con el corazón”.
Así, con' la sencillez del-gran maestro St.-Ex. nos da profundas lecciones para la vida, para la hermandad entra los hombres, para el amor, para el deber. _ . No es, pues, nada, extraño que este piloto de guerra, mientras los hombres se destruian unos ai otros en los frentes de combate, dedicase su tiempo a escribir un «libro para niños››: estaba escribiendo un maravilloso libro para La humanidad.
Su pequeño principe, igual que él mismo, desapareció un dia sin dejar rastro. Pero mientras brille una estrella habrá un amigo; Mientras haya un amigo habrá esperanza para el: hombre.

Andrés B. Couselo Venet